Ritos de Passagem Femininos I

00-climaterio

Olá pessoal, primeiramente quero pedir desculpas aos que esperaram em vão pelo artigo que venho compartilhando semanalmente com vocês há quase dois anos. Estive em trânsito, retornando de minha viagem de visita a minha filha no Sul dos Estados Unidos e não consegui me organizar a tempo de escrever, editar e publicar no blog e na fanpage Ser Integral.

Na verdade o tema já estava desenhando na minha cabeça e no meu coração porque é um assunto que eu gosto muito, foi objeto de pesquisa da minha Pós Graduação em Plantas Medicinais e continua muito presente no meu dia a dia, já que eu também estou na fase do Climatério chamada de Pós-Menopausa.

Inclusive já escrevi sobre este tema aqui no blog Ser Integral sob o título de Ciclos Femininos. Decidi retomá-lo pela importância que assume continuamente, na vida das mulheres. Na nossa vida. Seja para aquelas que estão entrando neste período agora, as que já estão no meio dele, as que já saíram, mas principalmente para aquelas que virão: nossas filhas e netas.

A palavra Climatério significa período crítico e designa a passagem da fase reprodutiva feminina para a fase não reprodutiva. Inicia-se por volta dos 40 anos e divide-se em tres fases: Pré Menopausa, Perimenopausa e Pós Menopausa. Considerando que a expectativa de vida da mulher brasileira, aumentou para quase 79 anos, temos aí mais de 30 anos experienciando esta fase. Motivo mais do que suficiente para que busquemos nos informar adequadamente e sobretudo iniciemos as providências para atravessar este período da forma mais saudável e harmoniosa possível, já que se trata de uma fase crítica.

É comum tratarmos este ciclo da vida feminina apenas como Menopausa e o termo está quase consagrado, mas é importante esclarecer que o Climatério é o período todo, cuja duração pode variar de mulher para mulher. Já a Menopausa é a última menstruação, e será determinada após um ano sem que ela ocorra. Da mesma forma que a primeira menstruação é a Menarca, Menopausa é a última.

Interessante que, apesar do Climatério ser um evento fisiológico esperado e natural na espécie humana, ainda carece de estudos para esclarece-lo. Parte disso se deve ao fato de que – por conta da baixa expectativa de vida das populações – muitas mulheres morriam antes de entrar no Climatério ou ter a Menopausa. Outro aspecto que limitou bastante o avanço dos estudos é a repressão aos assuntos relacionados à sexualidade e de modo especial a sexualidade feminina. Muitas de nossas mães e avós, menstruaram e tiveram filhos sem saber como tudo aquilo acontecia e sobretudo sem comentar com suas descendentes.

A minha dica de hoje continua dentro do princípio que norteia o Ser Integral: a importância de assumir a responsabilidade por nós mesmos e consequentemente pela nossa Saúde.

No caso do Climatério isso é muito importante, porque os estudos e atenção à essa fase tão importante no universo feminino andam muito devagar. O Ministério da Saúde em seu Manual de Atenção à Mulher no Climatério publicado em 2008 assume que a Saúde da Mulher no Brasil foi incorporada às políticas nacionais no início do século 20, cuja evolução e antecedentes só podem ser consideradas a partir da década de 70!! Um pouco menos de 50 anos. Estamos falando da Saúde Feminina de modo geral, porque só em 1994 foi lançada, pelo Ministério da Saúde , a Norma de Assistência ao Climatério. Ainda assim, a decisão política de iniciar as ações de saúde voltadas para a mulher no Climatério só aconteceria em 2003. Isso tudo porque nós somos a maioria na população brasileira. É importante que saibamos disso porque assim nos tornamos despertas para o cuidado com a nossa saúde e podemos cobrar do Poder Público as ações necessárias para que este cuidado aconteça junto aos profissionais responsáveis.

É isso querida amiga, assuma a responsabilidade por sua saúde e principalmente rebele-se contra o mito estabelecido em nossa cultura ocidental que a beleza obedece a um padrão. Ao contrário disso observe que cada fase da vida tem sua beleza. Até porque envelhecer, significa entre outras coisas, tornar visível a passagem do tempo, que é inexorável para todos: homens e mulheres. Nas culturas orientais onde o envelhecimento é celebrado como o tempo da Sabedoria e por esta razão respeitado por todos, as mulheres são praticamente assintomáticas em relação ao Climatério e aguardam ansiosas pela Menopausa. Vale refletirmos sobre quanto estamos nos deixando levar pelo puro pré conceito.

Responsabilidade por nós mesmos, inclui cuidados com uma alimentação que inclua frutas, legumes, verduras e ovos de preferência frescos e orgânicos. Se for possível diminua o consumo de alimentos de origem animal como a carne de boi e frango, principalmente porque são criados à base de hormônios de crescimento, altas doses de antibióticos… etc. Dê preferencia aos  alimentos minimamente processados na indústria alimentícia. Estes tem muito sal, açúcar, aditivos químicos e conservantes entre outras coisas.  Pratique uma atividade física regular (escolha uma de que goste: pode ser uma caminhada pelo bairro onde mora) por no mínimo 3 a 4 vezes por semana.

Entretanto a dica mais importante de hoje é mantenha suas emoções em equilíbrio. Procure alinhar sua mente/coração com suas ações. Para isso é muito importante a auto observação: “o que estou pensando? a resposta determinará a emoção seguinte, se positiva ou negativa. Se a resposta te conduzir a uma emoção negativa, acolha e escolha (você tem escolha) modificá-la

Nas próxima semanas vamos continuar com o tema, portanto aproveite para sugerir coisas que você gostaria de ver aqui, seja na forma de dúvidas ou sugestões.

Se você gostou deste post, curta e compartilhe nossa Fanpage Ser Integral.

Um grande abraço e toda luz para o seu caminho.

Para saber mais:

Manual de Atenção à Mulher no Climatério/Menopausa – 2008 – Ministério da Saúde.

Anúncios

4 comentários em “Ritos de Passagem Femininos I

Adicione o seu

    1. Olá Jaqueline,
      Gratidão por seu contato.
      A sexualidade na idade madura, varia de mulher para mulher. Pode ocorrer sim uma diminuição da libido, por conta da queda dos hormônios. Para algumas mulheres a menopausa pode significar a libertação do medo de engravidar o que pode inclusive aumentar a libido. Para outras, por conta de dificuldades pré existentes (físicas ou emocionais) ou adquiridas no climatério pode acontecer uma queda na libido. Ou seja há um conjunto de fatores envolvidos que uma vez devidamente identificados e trabalhados podem proporcionar uma vida sexual muito prazerosa na idade madura. Vou escrever mais detalhadamente sobre ao assunto no blog. Acompanhe-nos por aqui. Um grande abraço e muita luz.

      Curtir

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: