Um poderoso antioxidante: a Capuchinha

Para os que ainda não sabem eu sou Naturóloga, Especialista em Plantas Medicinais, Praticante de terapias energéticas como Reiki, EMF Balancing Technique e Geobiologia Espiritual.

Por conta disso, semana passada fui consultada por uma sobrinha muito querida, sobre sugestões de como tratar seu gatinho diagnosticado com linfomas pelo corpo e com indicação de tratamento quimioterápico – para prolongar a vida segundo a veterinária responsável. Minha sobrinha, adepta dos tratamentos não invasivos, queria sugestões de como tratar seu animalzinho de estimação. Sugeri argila com infusão de Cipó Mil Homens ( Aristolochia galeata) por sua reconhecida eficácia no tratamento de tumores. Em seguida, por orientação de uma colega e amiga também Naturóloga e Especialista em Plantas Medicinais com vasta experiência de campo, Alzira Bresola Simão, recomendei o uso da tintura de Capuchinha (Tropaleum majus), para fortalecer o sistema imunológico.

Até aí nenhuma novidade, não fosse a dificuldade que a minha sobrinha enfrentou para conseguir as plantas. Buscou em várias farmácias de manipulação e finalmente, desiludida retornou pedindo novas indicações de fitoterapia, já que não conseguiu encontrar nem a Capuchinha, nem o Cipó Mil Homens. Interessante que tudo isso se passou na cidade de São Paulo, onde teoricamente se ‘encontra de um tudo’’.

Curioso é que tanto o Cipó Mil Homens quanto a Capuchinha são plantas que ocorrem no Brasil, com destaque para a Capuchinha, da família do Agrião, cujas folhas e flores são comestíveis e muito utilizadas pelos chefes de cozinha na decoração de suas saladas gourmet.

Mas o que eu quero enfatizar neste texto é como andamos desinformados sobre os fantásticos recursos que as plantas podem nos oferecer. Claro que isso pode ser explicado pelos interesses existentes nesta não divulgação (Fitoterapia é barata, por exemplo!), mas que não serão objeto deste texto, neste momento. Vou me ocupar de contar para você um pouco da minha pesquisa sobre a Capuchinha, com o objetivo de passar um pouco do meu encantamento com suas maravilhosas propriedades.

A Capuchinha é originária da América do  Sul, mas também ocorre nos Estados Unidos onde é conhecida como Nasturtium por ser da família do Agrião. Todas as suas partes são comestíveis: folhas, flores, caules e sementes, sendo que as últimas quando preparadas em vinagre e sal, substituem com vantagens as alcaparras.

Aliás o que mais me encanta na Capuchinha é exatamente que por ser comestível, de sabor ligeiramente apimentado que remete ao Agrião, pode ser consumida por aqueles que querem tratamentos naturais e não invasivos, mas não gostam de chás ou esquecem de tomar as gotinhas de tintura recomendadas pelo profissional de Fitoterapia.

Tá mas afinal o que tem a Capuchinha de tão importante que está merecendo este texto: Importantes estudos realizados demonstraram que ela é rica em vitamina C, podendo conter até 130 mg por cada 100 gr de flores e tem o mais alto teor de luteína encontrado em qualquer planta comestível: 45 mg por cada 100 gr! Isso mesmo vitamina C e Luteína, dois antioxidantes poderosíssimos.

Para entender um pouco mais vamos falar um pouquinho da Luteína, porque a vitamina C já é mais famosa e portanto nossa conhecida. A Luteína é um carotenoide – pigmento amarelo, passando pelo laranja até o vermelho – muito encontrado nos vegetais, como é caso da nossa Capuchinha. Na natureza sua principal função parece ser a de proteger as plantas da radiação solar emitida pelos raios Ultravioleta. Em nosso corpo tem a importante função de combater os radicais livres – moléculas instáveis que podem destruir nossas células, além de causar inúmeras doenças. Simplificando a Luteína juntamente com outros antioxidantes como a vitamina C, presentes na Capuchinha podem nos proteger no processo de doenças como por exemplo a aterosclerose, degeneração macular e a catarata. Em muitos países a Capuchinha é utilizada como um poderoso antibiótico natural, além de tratar doenças do couro cabeludo e inibir a queda dos cabelos.

Desejo de todo coração que esta pequena introdução ao estudo da Capuchinha desperte em você o desejo de conhece-la melhor, quem sabe conseguir algumas sementes e cultiva-la num vaso em sua sacada ou no chão do seu quintal. Ela é muito amigável no trato, além de ser linda trará uma energia colorida e brilhante para suas saladas e para o seu ambiente. Anexo um link para um vídeo que mostra toda sua beleza:

https://www.youtube.com/watch?v=RZJ3-tQJhzk

Quer saber mais sobre a energia das plantas? Comente aqui mesmo no blog ou mande um email para rmarrie@gmail.com. Terei imenso prazer em compartilhar conhecimentos com você.

Grande abraço e até o próximo post!

Anúncios

2 comentários em “Um poderoso antioxidante: a Capuchinha

Adicione o seu

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: