O ser, ter e fazer

A vida tem muitas facetas e nuances e nosso desafio é tomarmos consciência de cada uma delas, para que possamos aproveitar de fato nossa estadia no planeta.

Dentre os diversos aspectos gosto de considerar três deles que considero fundamentais: o Ser, o Fazer e o Ter.

O Ser – que considero mais importante e fundamental –  é a experiência básica de estar vivo, pleno e consciente. É aquele estado que vivenciamos por exemplo quando estamos em equilíbrio no centro do nosso canal central de energia e luz, onde podemos nos conectar com nosso Eu Superior, nossa Presença Divina e ao mesmo tempo permanecermos em conexão com a Terra no tempo do Aqui e a Agora. É quando atingimos a sensação de plenitude e paz interior, no estado de meditação profunda, por exemplo ou quando nos extasiamos diante de alguma beleza da natureza.

O Fazer é a nossa atitude diante da vida, o movimento e a atividade que se origina da energia criativa natural que permeia toda as coisas vivas. É fluir da vida, a fonte da nossa vitalidade. É quando nos tornamos co-criadores com o Universo e transformamos os nossos pensamentos em realidade. E Deus disse: “Faça-se a Luz, e a Luz se fez!”.

O Ter é a expressão de como nos relacionamos com as pessoas e coisas do universo. Nada é nosso de fato.

Como nos comportamos diante dessa premissa tão avassaladora?

O Ter se refere a capacidade que temos de lidar com os diferentes aspectos de cada pessoa que cruza nosso caminho. Nossa facilidade ou não de aceitá-las como são. 

Estes três aspectos são complementares, como pilares que sustentam o mesmo edifício: a vida. Um triângulo no qual cada lado serve de apoio para os demais, sem conflito. Todos eles existem simultaneamente.

Apesar desta complementariedade o que estamos observando nos dias atuais é uma inversão de valores. Parece que estamos vivendo às avessas: buscamos ter mais coisas ou mais dinheiro para podermos fazer as coisas que queremos, para que consigamos ser felizes.

Então eu te convido a refletir comigo: Você concorda que as coisas devem ou pelo menos deveriam funcionar exatamente da maneira contrária?

primeiro precisamos ser quem de fato somos. Entrar em contato com a nossa essência para descobrirmos verdadeiramente nosso Eu mais puro e mais profundo. Viemos aqui para isso. Como nos legou o filosofo “Torna-te quem tu és”;

para então fazer o que precisa ser feito. Neste momento teremos descoberto o nosso porquê. Aquele centelha divina que nos move e nos permite acordar todos os dias com o coração alegre porque vamos realizar o nosso propósito. Nessa ocasião o universo se ilumina e maravilhosas conexões acontecem porque somos todos UM;

e finalmente chegamos ao ter o que desejamos, como uma consequência natural de ser e fazer com amor. Quando Somos alcançamos aquele estágio de equilíbrio no centro do nosso Ser, onde nossa Essência brilha e contagia porque nos conectamos à fonte, manancial inesgotável de amor, sabedoria e energia. A esta fonte você pode dar o nome que quiser: Deus, Eu Superior,  Sabedoria Infinita etc… Esta conexão permite acessar a sabedoria e orientação superiores e assim optar por co-criar seu próprio universo, fazendo tudo o que escolher realizar.

Eu finalizo desejando que todos e cada um de nós possamos:

Entrar em contato cada vez mais profundo com o nosso SER.

Em contato com nosso Ser tenhamos clareza sobre as nossas ações. O nosso FAZER.

Para alcançar a Abundância e a Prosperidade sobre o que temos. O nosso TER.

Grande abraço e toda Luz!

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: